Topo

Pesquisa escolar

Atualidades


Retrospectiva - 2012 - Saiba o que foi notícia entre janeiro e as vésperas do Enem

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em sessão onde o STF retomou o cálculo das penas dos réus condenados no processo do mensalão. O assunto foi um dos temas mais importantes no âmbito da política brasileira nos últimos anos. - José Cruz/ABr
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em sessão onde o STF retomou o cálculo das penas dos réus condenados no processo do mensalão. O assunto foi um dos temas mais importantes no âmbito da política brasileira nos últimos anos. Imagem: José Cruz/ABr

José Renato Salatiel*, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Dois mil e doze tem sido marcado por importantes acontecimentos políticos, no Brasil e no mundo. Questões sobre meio ambiente e a recessão econômica na Europa foram assuntos recorrentes ao longo do ano.

Direto ao ponto: Ficha-resumo

No âmbito internacional, a maior revolta popular das últimas décadas, a Primavera Árabe, perdeu seu caráter de celebração da democracia para se traduzir em imagens de massacres e protestos violentos no Oriente Médio.

A situação mais grave ocorre na Síria, onde uma guerra civil, iniciada em março de 2011, já deixou mais de 30 mil mortos e quase meio milhão de refugiados. O pior é que, por enquanto, não há perspectiva para uma trégua entre forças rebeldes e o Exército do ditador Bashar Al Assad.

Dois principais fatores tornam o conflito sírio complexo: disputas étnicas e religiosas entre a minoria alauíta (12% da população), no poder há meio século, e a maioria sunita (74%); e o impasse diplomático provocado pela Rússia, que apoia o governo sírio e veta medidas mais enérgicas contra ele no Conselho de Segurança da ONU.

O governo dos Estados Unidos também evitou intervir militarmente, por conta do clima já tenso na região. No aniversário dos ataques do 11 de Setembro, um diplomata americano foi morto e protestos espalharam-se no mundo árabe depois da divulgação de um vídeo considerado ofensivo à religião muçulmana. Essas manifestações antiamericanas foram estimuladas por grupos fundamentalistas islâmicos, que ascenderam ao poder após a derrocada de ditadores na Primavera Árabe.

Tal panorama teve ainda reflexos na disputa pela Casa Branca. As eleições presidenciais na maior potência econômica e militar do mundo estão marcadas para 6 de novembro. Barack Obama concorre à reeleição contra o adversário republicano, Mitt Romney.

Questões sobre economia, porém, ocupam o centro dos debates eleitorais, pois os americanos estão mais preocupados com as altas taxas de desemprego e a recessão do que com guerras no exterior.

Mas em nenhum outro lugar a crise econômica fez tantos estragos e foi tão dramática quanto na União Europeia. Após a crise de 2008, os governos tiveram que salvar instituições financeiras do colapso. Assim, aumentaram as dívidas públicas, que já eram elevadas, ao mesmo tempo em que a arrecadação de impostos caiu, em consequência do desemprego.

Como resultado, a Grécia quase foi à falência e manifestações ocorreram em quase todo o bloco. Em eleições realizadas durante o ano, presidentes e primeiros-ministros não conseguiram se reeleger.

Mensalão e cotas

No Brasil, a política foi o centro das atenções. Em 2 de agosto, o STF (Supremo Tribunal Federal) começou a julgar os 38 réus do mensalão, considerado um dos maiores escândalos de corrupção da política brasileira.

Os ministros do Supremo condenaram 25 réus, absolveram 12 e empataram no julgamento de um deles. Entre os condenados estão o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoíno, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e o empresário Marcos Valério.

O STF foi palco ainda de outras decisões importantes para o país, entre elas, o julgamento, em 26 de abril, da constitucionalidade do sistema de cotas raciais em universidades. O resultado do julgamento sancionou a prática, adotada por instituições públicas de ensino superior, de manter reservas de vagas para estudantes negros, pardos e índios.

O objetivo das cotas é corrigir injustiças históricas provocadas pela escravidão na sociedade brasileira. O problema é que, em uma sociedade mestiça, há o risco de distorções no processo de seleção. Além disso, críticos argumentam que o sistema de cotas poderia até ter um efeito contrário, estimulando a segregação racial.

Outro projeto polêmico foi o Novo Código Florestal brasileiro. O Projeto de Lei no 1.876/99, elaborado pelo deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB) altera a legislação a respeito da preservação de florestas, que inclui limites para exploração da vegetação nativa e a definição da chamada Amazônia Legal (área que compreende nove Estados brasileiros).

Em 25 de abril, a Câmara dos Deputados aprovou uma versão do projeto favorável aos ruralistas. Em resposta, ambientalistas organizaram o movimento “Veta Dilma”, pedindo que a presidente Dilma Rousseff vetasse o projeto. Em maio, a presidente vetou 12 pontos da lei e propôs alterações.

Rio+20

Problemas ambientais também dominaram o debate nacional durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. A cúpula discutiu, de 13 a 22 de junho, um conjunto de metas para conciliar, nas próximas décadas, o crescimento econômico com a preservação do meio ambiente.

Ao final do evento, os 188 países participantes adotaram o documento "O futuro que queremos". Por meio dele, governos se comprometeram a desenvolver economias que administrem melhor os recursos naturais, de forma a não prejudicar as gerações futuras. Com uma população mundial de 7 bilhões de habitantes – situação que demanda aumento na produção de alimentos –, esse é um dos maiores desafios para as próximas décadas.

Fique Ligado

Os acontecimentos que se destacaram imprensa brasileira ao longo do ano foram focalizados aqui nesta seção de Atualidades. Assim, além dessa breve retrospectiva que você acabou de ler, você pode dar uma olhada nos artigos que foram veiculados aqui nesse período. Lembre-se que em todos os artigos você encontra o quadro "Direto ao ponto", que resume em cinco parágrafos os aspectos principais de cada notícia.

Atualidades

 

Direto ao ponto

O ano de 2012 tem sido marcado por importantes acontecimentos políticos, no Brasil e no mundo, além de questões sobre meio ambiente e a recessão econômica.

 

No Oriente Médio, a guerra civil na Síria, iniciada em março de 2011, já deixou mais de 30 mil mortos e quase meio milhão de refugiados. Em toda a região, a ascensão de grupos fundamentalistas islâmicos também insuflou protestos contra os Estados Unidos, ocorridos após a divulgação de um vídeo considerado ofensivo à religião islâmica.

 

Mas é na Europa que os efeitos da recessão econômica são mais dramáticos, com protestos contra o corte de gastos públicos e queda de líderes tradicionais.

 

No Brasil, a política foi o centro das atenções. Em 2 de agosto, o STF (Supremo Tribunal Federal) começou a julgar os 38 réus do mensalão, considerado um dos maiores escândalos de corrupção da política brasileira. Ao todo, 25 foram condenados e 12 absolvidos.

 

Outros assuntos polêmicos do ano foram o sistema de cotas raciais em universidades e o Novo Código Florestal brasileiro. O meio ambiente e o desenvolvimento sustentável foram ainda discutidos na Rio+20, realizada entre 13 e 22 de junho.

 

José Renato Salatiel*<BR> Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação * José Renato Salatiel é jornalista e professor.

Mais Atualidades