PUBLICIDADE
Topo

Guia de estudos: confira 10 temas essenciais de história

Lucas Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

19/08/2013 06h00Atualizada em 09/05/2016 18h26

Ter um bom conhecimento dos conteúdos relacionados à antiguidade clássica, à Revolução Francesa e ao período do segundo reinado no Brasil (D. Pedro 2º) é de extrema importância para os estudantes que irão prestar os principais vestibulares. O UOL consultou professores sobre os dez conteúdos da disciplina que mais caem nos exames.

GUIA DE ESTUDOS

  • AFP

    Dez temas essenciais de química

  • Rodrigo Capote/Folhapress

    Dez temas essenciais de matemática

  • Luciano Candisani/CI/Divulgação

    Dez temas essenciais de geografia

  • Bruno Miranda/Folhapress

    Dez temas essenciais de física

  • Thinkstock

    Dez temas essenciais de biologia

  • REUTERS/Enrique Castro-Mendivil

    Dez temas essenciais de história

  • Thinkstock

    Dez temas essenciais de filosofia e sociologia

  • Thinkstock

    Dez temas essenciais de inglês

  • Rede Globo/Divulgação

    Dez temas essenciais de português

  • Reprodução

    Dez temas essenciais de espanhol

  • Reprodução

    Dez passos para uma boa redação

Esse é o sexto roteiro de uma série que trará o guia de estudos de uma disciplina por dia.

O compilado de história foi feito com a ajuda dos professores dos cursinhos CPV, Luis Ricardo Palermo, e Oficina do Estudante, Rogério Bonfá. Confira a seguir:

Os estudantes devem estudar os legados deixados pela Grécia e Roma Antiga para a sociedade ocidental. Segundo o professor Rogério Bonfá, da Oficina do Estudante, é fundamental saber sobre a democracia ateniense e conseguir falar relações com a democracia atual.

Em Roma, o estudante deve estar atento à formação dos triunviratos (Julio Cesar, como ditador e Otavio Augusto, 1º imperador) e a sua influência na língua, nas leis e na religião. "[É preciso] ter a noção de senado, coisa pública e as conquistas sociais, principalmente as plebeias. Foi também durante o Império Romano que surgiu o Cristianismo", diz Nelson Santos da Silva, docente do cursinho do XI.

Era um modo de organização restrito à Europa ocidental. É necessário entender características econômicas, políticas e sociais, lembrando que era uma sociedade estamental, que tinha grande influência da Igreja Católica.

Bonfá lembra que o termo “Idade Média” associado ao feudalismo vem caindo em desuso. “Foi um período fundamental para a formação da sociedade ocidental. Então não vale mais chamarmos de idade do meio ou idade da escuridão, como foi cunhado pelos renascentistas e iluministas”, diz.

É importante saber como foi o impacto ocasionado pelos europeus nessas civilizações e qual foi a influência delas na cultura ocidental como um todo (a utilização da babata e do milho, por exemplo).

"Vale observar o conceito de mita, tipo de trabalho compulsório na América espanhola, baseado na civilização inca", diz o professor da Oficina.

  • Absolutismo

Dentro do chamado "Antigo Regime", o poder era concentrado nas mãos do rei, que comandava o Estado moderno europeu -- a França era o principal Estado absolutista da Idade Moderna. É bom conhecer os principais teóricos absolutistas: Nicolau Maquiavel, Thomas Hobbes e Jacques Bossuet.

Representa a queda do absolutismo na França e na Europa. O movimento surgiu da oposição do povo à crise social e política que tomava conta de um sistema do qual o povo não participava. As questões podem pedir para analisar a situação antes e depois da revolução e ideias iluministas.

"Um fato importante é a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que atribui cidadania às pessoas", diz Bonfá.

ESTUDE PARA O ENEM

  • Johnny Eggitt/AFP

    No Enem, atualidades são pretexto para cobrar análise de conteúdos

    Getty Images

    Prova de exatas do Enem cobra temas básicos; veja o que estudar

    Divulgação

    Confira 21 sugestões de filmes para estudar filosofia e sociologia

    Editoria de Artes/Agência O Globo

    Boa redação pede domínio da dissertação e de atualidades

    Rivaldo Gomes/Folhapress

    Estudar com provas antigas é principal dica para realizar Enem

Essa era a prática econômica do absolutismo. É importante conhecer o mercantilismo para entender a lógica do Brasil colônia. A escravidão do negro africano é produto desse processo.

Está inserido na crise do antigo sistema colonial, e dentro dela está justamente um rompimento com a política mercantilista. Estudar período joanino e abertura dos portos em 1808. "O conflito de interesses entre a elite colonial e a elite metropolitana levou à independência, que teve caráter extremamente elitista, e não popular", lembra Bonfá. 

Caracterizado pelo parlamentarismo às avessas e pelo ciclo do café, no Vale do Paraíba e oeste paulista (economia). Houve ainda a introdução do trabalho imigrante, Guerra do Paraguai (1864-1870) e a abolição da escravatura (1888). 

Vargas chegou ao poder por meio de um golpe de Estado em 1930 e se manteve no poder durante uma ditadura, conhecida por Estado Novo (1937-1945). O período é marcado pela centralização do Estado, estatização de grandes meios econômicos e grande aceitação popular (populismo).

As questões podem exigir que o candidato conceitue o golpe de 1964, além de todo o aparelho repressivo da ditadura. Outro tema que pode ser cobrado são:  atos institucionais (principalmente AI-5), milagre econômico (durante governo Médici), surgimento do novo sindicalismo e movimento "Diretas Já" (1984).