Unicamp

Manual para calouros da Unicamp é acusado de machismo e homofobia

Eduardo Schiavoni

Colaboração para o UOL, em Ribeirão Preto

  • Reprodução

O DCE (Diretório Central dos Estudantes) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou uma nota de repúdio à Associação Atlética de Engenharia Mecânica da Unicamp por ter distribuído aos calouros do curso, um "manual do bixo" contendo afirmações machistas e homofóbicas, além de apontar os novatos como seres inferiores. A nota foi assinada também por outras instituições discentes da universidade.

Entre as frases consideradas machistas estão "ache beleza por partes: um dia você pega uma feia com coxa boa, outro dia uma feia com o peito bom" e "não existe mulher feia, você que não bebeu o suficiente". Além disso, há trechos onde as calouras são apontadas como fonte de prazer sexual para os veteranos.

Para Débora Lima, coordenadora do DCE, a publicação e distribuição do material causou surpresa. "No manual encontramos uma série de frases e ideias ridículas que ajudam a perpetuar o ciclo de violência contra a mulher na sociedade brasileira", conta. "Há dicas como procurar as calouras, que seriam mais ingênuas, além de discriminação homofóbica", informa.

Mais críticas

Além da nota do DCE, outras instituições da Unicamp também produziram notas condenando a postura da atlética. Uma dessas notas foi distribuída pela Atlética do Instituto de Filosofia e Ciência Humanas, que pediu inclusive punição para a organização da engenharia.

"Queremos que a Atlética da Engenharia Mecânica seja devidamente punida pela LAU (Liga das Atléticas da Unicamp), organize debates e mesas que abordem a temática feminista, sendo que o não comparecimento resultará em novas penalidades", diz a nota, que pede ainda que a atlética "se retrate publicamente" e "lance novo guia para os ingressantes, dessa vez sem absurdos machistas e homofóbicos, que inclua a nota de retratação". "Através de tais exigências esperamos quebrar um ciclo de naturalização do abuso de mulheres e demarcar que nós nunca nos calaremos perante tais absurdos e que travaremos uma luta feroz contra o machismo. Machistas não passarão", finaliza a nota.

Reprodução

Texto é 'inadequado', diz atlética

Débora, por sua vez, conta que o DCE já procurou a atlética para conversar e que já começou a realizar uma série de ações para discutir o assunto e evitar que a postura permaneça. "Falamos com a atlética e eles foram muito receptivos. Não é o primeiro manual que eles fazem contendo frases desse tipo, mas foi o primeiro que chegou oficialmente até nós. Isso é positivo e mostra um avanço na sociedade, que não vê mais esse tipo de coisa como normal", afirma.

Procurada, a atlética informou que o texto utilizado nessa edição é reproduzido há pelo menos oito anos e que houve negligência na revisão. A organização admitiu ainda que o texto é inadequado e que já se desculpou pelo conteúdo. A intenção é realizar uma série de debates e discussões abertas para a criação de um novo manual do bicho onde os conteúdos de cunho machista e homofóbicos serão retirados.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos