Topo

Tema da redação da Fuvest 2015 é "camarotização" da sociedade

Lucas Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

04/01/2015 16h09

A Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) pediu ao candidatos que elaborassem uma dissertação discutindo a “camarotização” da sociedade, a segregação das classes sociais e a democracia. A prova de redação faz parte do primeiro dia de exames da segunda fase do vestibular 2015. Neste domingo (4), os candidatos também responderam a dez questões de português.

“O primeiro texto de apoio falava sobre a ideia da ‘camarotização’ relacionada com a democracia nos Estados Unidos; o segundo, mais sobre a influência que teve a ascensão das classes populares; e o outro, sobre as escolas públicas e particulares”, conta Pedro Siqueira, de 27 anos, que tenta uma vaga em ciências contábeis.

Thiago Guido, 17, candidato de gestão ambiental, lembra que o tema do texto dissertativo falava que antigamente as crianças estudavam juntas, independente da classe social, e abordava os camarotes em estádios de futebol e as divisões sociais até em aviões, na classe econômica e executiva. “Falei na minha redação que essa divisão só tende a aumentar.”

Recém-saído do ensino médio, João Pedro Ferreira dos Santos, 17, considerou o tema da redação da Fuvest deste ano mais  fácil que o do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que abordou a publicidade infantil. “Eu esperava mais. Foi um tema bem fácil de dissertar”, afirma. “Mesmo se você não soubesse o que falar, os textos de apoio davam uma boa base.”

Gustavo Aragon, de 17 anos, disse ter ficado surpreendido. “Os textos falavam sobre shows, baladas, jogos de futebol, e havia um depoimento de como era antes sem esses camarotes”, lembra o candidato de enfermagem.

Português

Os candidatos que fizeram a prova no prédio de engenharia civil da Escola Politécnica afirmaram à reportagem que a prova deste domingo contou com quatro questões de literatura e seis de gramática e interpretação e texto.

“Caíram os livros ‘Sentimento do Mundo’, ‘Viagens à Minha Terra’, ‘Memórias Póstumas de Brás Cubas’ e ‘O Cortiço’. Como literatura é o meu fraco, achei difícil. Mas gramática e interpretação estava tranquilo”, afirma João Pedro, que pretende cursar física.

“Literatura estava pegando especificamente alguns livros. Já português, você lia um texto ou alguma imagem e tinha que interpretar. No geral estava fácil”, analisa Juliana Saliba, de 17, candidata a uma vaga de nutrição.

Mais dois dias de prova

As provas da segunda etapa serão realizadas também nos dias 5 e 6 de janeiro. Em todos os dias, os candidatos terão 4h para finalizar as provas.

Amanhã, os estudantes devem responder 16 questões de história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês. Na terça-feira, é a vez das disciplinas de acordo com a carreira escolhida.

Foram convocados para a segunda fase do vestibular 29.698 candidatos, que disputarão 11.057 vagas na USP e 120 vagas na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. A primeira chamada será publicada no dia 31 de janeiro.

Educação