PUBLICIDADE
Topo

Ensino técnico, tecnológico ou bacharelado: Veja qual combina mais com seus objetivos

Lucas Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

29/04/2013 06h00

Ao final do ensino médio, muitos estudantes ficam em dúvida na hora de escolher entre uma das modalidades de ensino existentes. Quando vale a pena cursar um ensino técnico ou então, no momento da graduação, optar por um curso tecnológico em vez do bacharelado?

Veja também

  • Karime Xavier/Folhapress

    Pronatec tem 32 mil vagas disponíveis para cursos técnicos

  • Reprodução/Telegraph

    Confira os dez cursos tecnológicos mais procurados

  • Patrickneil/Wikimedia Commons

    Saiba a diferença entre faculdade, centro universitário e universidade

Para a coordenadora do Serviço de Orientação Vocacional da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Araraquara, Maria Beatriz Loureiro de Oliveira, tudo vai depender dos objetivos do aluno.  Conheça os perfis

O ensino técnico, que dura em média dois anos, é mais prático e visa rápida inserção no mercado de trabalho. Os cursos tecnológicos conferem um diploma de ensino superior e mantém o foco no mercado de trabalho. Já o bacharelado ou a licenciatura são cursos de ensino superior mais longos e formam um profissional em áreas mais amplas e menos especializadas.

“Antigamente apenas pessoas menos favorecidas iam para o curso técnico. Hoje, os estudantes entram nele conscientemente”, analisa Maria Beatriz. “O ensino técnico é o ideal para aqueles que buscam uma rápida colocação no mercado de trabalho. É importante para conhecer esse mundo, ter um pouco mais de vivência na prática”, afirma.

Graduação

Nos cursos de graduação, existem três modalidades: o bacharelado, a licenciatura e o curso tecnológico. O primeiro forma profissionais mais generalistas. O estudante pode cursar biologia e irá estudar botânica, zoologia, genética, e outras disciplinas. É ideal para quem pretende ter uma visão geral e se tornar um profissional com uma grande amplitude de ação.

Nos cursos de licenciatura são formados professores para a educação básica, que engloba os docentes de ensino fundamental e médio. Essa modalidade pode ter matérias específicas, mais focadas em aspectos pedagógicos. Para dar aula nos anos finais dos ensinos fundamental e médio, contudo, deve-se fazer um curso voltado para um área do conhecimento, como matemática ou física.

Já o tecnológico possui cursos mais focados. Não existe ciências da computação, mas, por exemplo, há cursos de banco de dados, redes de computador, jogos digitais e segurança da informação.

“O ensino tecnológico visa formar profissionais para atender campos específicos do mercado de trabalho. A formação, portanto, pode ser mais compacta, com duração em alguns casos menor que a dos cursos de bacharelado”, afirma César Silva, vice-diretor superintendente e coordenador do ensino superior do Centro Paula Souza, que administra escolas técnicas e faculdades de tecnologia no Estado de São Paulo.

Conheça os perfis: 

Técnico

  • Foco em conhecimentos teóricos e práticos nas diversas atividades do setor produtivo, visando rápida entrada no mercado de trabalho. O formado exercerá atividades operacionais. 
  • Não é considerado um curso superior 
  • Dura em média dois anos

Tecnológico

  • Apresenta uma visão mais ampliada em relação ao técnico, o estudante será capaz de mudar processos de trabalho, porém,  ainda atenderá campos específicos 
  • Diploma de nível superior
  • A duração é de três anos em média

Bacharelado ou Licenciatura

  • Ideal para quem pretende ter uma visão geral e se tornar um profissional com uma grande amplitude de ação, contudo com menos profundidade que os tecnólogos
  • Diploma de nível superior
  • Em geral, dura entre quatro e cinco anos

Educação