Língua portuguesa

Inverter a ordem aumenta a expressividade

Thaís Nicoleti de Camargo*

Especial para a Folha de S. Paulo

Para estudar a sintaxe da língua portuguesa, é importante que se comece por observar a organização mais usual das sentenças. Geralmente os enunciados seguem uma certa sequência - a chamada ordem direta -, que se inicia com o sujeito, seguido de verbo, de complementos e, finalmente, de expressões adverbiais.

Rigorosamente na ordem direta está uma frase como: "Ele entregou os documentos ao secretário ontem" (sujeito/ verbo/ objeto direto/ objeto indireto/ adjunto adverbial). A compreensão desse enunciado é imediata, pois ele se apresenta na sequência mais frequente na língua.

As alterações feitas nessa ordem buscam enfatizar algum termo da oração. Na frase: "Os documentos, ele os entregou ao secretário ontem", o objeto direto anteposto (e retomado pelo pronome átono "os") ganha destaque por ter sido posto no início do período.

O recurso da inversão é largamente usado pelos poetas, que buscam privilegiar o aspecto subjetivo da linguagem. Em muitos casos, a mera anteposição do adjetivo ao substantivo dá subjetividade à expressão ("verdes olhos" em vez de "olhos verdes", por exemplo). Essa inversão de ordem entre termos de um mesmo sintagma chama-se anástrofe.

Presente em muitos textos poéticos está o hipérbato, figura de construção em que a mudança na ordem dos termos é um pouco mais severa, o que, por vezes, dificulta a compreensão do conteúdo. Isso é o que se vê no excerto abaixo, extraído do poema "I-Juca-Pirama", de Gonçalves Dias. O velho chefe timbira liberta o prisioneiro tupi por considerá-lo fraco e, portanto, indigno de ser devorado no ritual antropofágico, provocando a resposta do jovem índio, ferido em sua dignidade:

"- Ora não partirei; quero provar-te/ Que um filho dos tupis vive com honra,/ E com honra maior, se acaso o vencem,/ Da morte o passo glorioso afronta.// - Mentiste, que um tupi não chora nunca,/ E tu choraste!... parte; não queremos/ Com carne vil enfraquecer os fortes".

Na ordem direta, os trechos seriam: "E afronta o passo glorioso da morte com honra maior se acaso o vencem" e, depois, "Não queremos enfraquecer os fortes com carne vil". Dessa forma, o entendimento linear do texto certamente seria instantâneo, mas a musicalidade e a atmosfera solene do diálogo se perderiam.

Thaís Nicoleti de Camargo*

Especial para a Folha de S. Paulo

UOL Cursos Online

Todos os cursos