Topo

Biologia -



 


a) Características gerais

É o filo com o maior número de espécies e com representantes terrestres, de água doce e marinhos. Encontra-se dividido em cinco classes: crustáceos, insetos, aracnídeos, quilópodes e diplópodes.


Apresentam um exoesqueleto quitinoso e uma série de apêndices articulados. O exoesqueleto limita o crescimento desses animais, que crescem através do processo de mudas (ecdises), durante as quais trocam o seu envoltório.


A estrutura do sistema respiratório depende do grupo e do habitat de cada espécie. Existem grupos que apresentam respiração branquial (crustáceos), traqueias (insetos, aracnídeos, quilópodes e diplópodes) e cavidade pulmonar (aracnídeos).


O sistema circulatório é do tipo aberto e o sangue é lançado do coração para o interior de cavidades. A excreção pode ser realizada através das glândulas verdes (crustáceos), glândulas da coxa (aracnídeos) ou túbulos de Malpighi (insetos, aracnídeos, quilópodes e diplópodes).


O sistema nervoso é ganglionar, sendo composto por um cordão central ventral, gânglios cerebroides e um anel nervoso.


A reprodução é sexuada, existindo tanto espécies dioicas quanto hermafroditas. O desenvolvimento pode apresentar estágios larvais (indireto) ou ser direto.


b) Crustáceos

Os crustáceos possuem representantes terrestres, de água doce e marinhos. Existem espécies de vida livre e também algumas que vivem fixas a substratos. Alguns exemplos de crustáceos são o tatu-bola, o camarão, a craca e o caranguejo.


O corpo é dividido em duas regiões: cefalotórax e abdome. Possuem dois pares de antenas e cinco ou mais pares de apêndices locomotores. São importantes constituintes do zooplâncton.


c) Insetos

É a classe com maior número de espécies. Nela estão incluídos animais como besouros, pulgas, borboletas, libélulas, percevejos, entre outros. O corpo é dividido em três regiões: cabeça, tórax e abdome. Na cabeça existe um par de antenas. No tórax encontram-se três pares de apêndices locomotores e as asas, quando presentes. Nem sempre é possível distinguir claramente as três regiões do corpo.


O desenvolvimento pode ser direto ou indireto. No desenvolvimento direto do ovo eclode um indivíduo já semelhante ao adulto, ou seja, não há metamorfose (insetos ametábolos). Existem dois tipos de desenvolvimento indireto: com metamorfose incompleta (insetos hemimetábolos) ou completa (insetos holometábolos). Na metamorfose incompleta do ovo emerge a ninfa, que se desenvolverá no adulto. Na metamorfose completa, do ovo emerge uma larva que origina a pupa, que, por sua vez, se transforma no adulto.


d) Aracnídeos

É a segunda maior classe de artrópodes. Existem espécies terrestres e aquáticas. Exemplos de aracnídeos são as aranhas, escorpiões, carrapatos e ácaros. O corpo da maioria dos aracnídeos encontra-se dividido em cefalotórax e abdome. No entanto, em algumas ordens ou espécies há a divisão ou fusão dessas partes.


No cefalotórax existem quatro pares de apêndices locomotores, um par de quelíceras e um par de palpos ou pedipalpos. As quelíceras podem ser utilizadas para injetar veneno nas presas, como ocorre nas aranhas, ou para esmagá-las, como é o caso dos escorpiões. Os palpos são utilizados para apreensão e manipulação das presas. Os aracnídeos não possuem antenas.


A fecundação é interna e os sexos são separados. O desenvolvimento é indireto nos ácaros e direto nas aranhas e escorpiões.


As aranhas possuem glândulas de veneno no interior de suas quelíceras. O veneno inoculado contém enzimas que imobilizam e iniciam a digestão das presas.


O abdome dos escorpiões é dividido em duas regiões: uma mais anterior, chamada de pré-abdome (ou mesossoma), e outra mais posterior, o pós-abdome (ou metassoma). Na extremidade do pós-abdome há uma estrutura chama télson, que abriga as glândulas de veneno.


e) Quilópodes

O nome da classe vem do grego chilioi, mil; e podos, pés, e faz referência ao grande número de apêndices locomotores destes animais. A lacraia é um exemplo de quilópodo.


Possuem o corpo dividido em diversos segmentos. No primeiro segmento (cabeça) existe um par de antenas e um par de estruturas inoculadoras de veneno. Em cada um dos segmentos restantes há um par de apêndices locomotores.


São animais carnívoros, terrestres e de hábitos noturnos.


f) Diplópodes

O nome da classe vem do grego diploos, duplo; e podos, pés, e faz referência a presença de um par de apêndices locomotores por segmento do abdome. O piolho-de-cobra é um exemplo de diplódope.


Possuem o corpo segmentado, dividido em cabeça, tórax e abdome. Na cabeça há um par de antenas, no tórax há um par de apêndices locomotores por segmento; e no abdome, dois pares.


São herbívoros, não possuem glândulas de veneno e vivem em ambientes terrestres úmidos.


 

 

Mais Biologia