PUBLICIDADE
Topo

Biologia

Biologia -

Há algum tempo, um famoso vestibular para um curso de medicina de São Paulo fez uma interessante questão em que duas abelhas conversavam sobre seus parentes. A abelha A perguntava à abelha B como estavam seus pais, e esta respondia que o pai já havia morrido e a mãe estava bem. Então B perguntou a A como estavam seus quatro avós, ao que A respondeu que possuía apenas dois. A questão indagava ao candidato se A e B eram operárias, zangões ou rainhas. A resposta era A = zangão e B = operária ou rainha.

A questão versava sobre a determinação cromossômica do sexo, ou seja, a distinção entre os sexos pelo cariótipo (ou pelos cromossomos sexuais). Na espécie humana, seguimos o sistema XY, em que as fêmeas possuem dois cromossomos homólogos (XX) e os machos possuem um par não homólogo (XY).

Deve-se observar que, em razão disso, as fêmeas produzem, por meiose, apenas um tipo de gameta quanto a esses cromossomos (X), enquanto os machos produzem dois tipos (X e Y). Daí surge a história de que é o homem que determina o sexo do filho (o que me parece simples acaso!).

Alguns insetos e a maioria dos mamíferos seguem o sistema XY, mas outros organismos seguem sistemas diversos. Diversas aves e borboletas, por exemplo, seguem um sistema denominado ZW, em que o sexo heterogamético (ZW) é a fêmea, sendo o macho o ZZ.

Voltando às abelhas, o sistema seguido é o chamado haploide/ diploide, em que indivíduos originados por partenogênese (desenvolvimento do óvulo sem a fecundação, dando origem a indivíduos haploides) serão zangões (machos), enquanto os organismos diploides, resultantes da fecundação, serão fêmeas operárias ou, se receberem uma dieta especial, poderão transformar-se em rainhas! Agora uma tarefa importante para você: procure em seu livro de biologia e compare com o texto acima os sistemas X0 e Z0. Saudações e bons estudos!

Biologia