Primeira prova da 2ª fase da Unesp foi clássica e fácil, dizem professores

Bruno Aragaki

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

Sem grandes surpresas, a prova que abriu a segunda fase do vestibular da Unesp (Universidade Estadual Paulista) neste domingo (17) foi classificada pela maioria dos professores de cursos ouvidos pelo UOL como clássica e "gabaritável" – gíria para um exame que tem grandes possibilidades de muitos candidatos acertarem todas as questões.

"E uma prova que permite a muito aluno 'gabaritar' (acertar todas) não é um mérito", afirma o coordenador do curso Anglo, Daniel Perry, ao analisar as questões discursivas aplicadas no domingo.

O exame abrangeu matemática, ciências humanas e da natureza. A bateria de provas segue na segunda-feira com linguagens e redação.

"Como não houve questões de nível elevado, a prova se torna pouco discriminatória. Ou seja, há pouco espaço para selecionar o aluno em cursos mais concorridos", afirma Perry.

A coordenadora do Curso e Colégio Objetivo, Vera Lúcia Antunes, diz concordar. "Foi uma prova tradicional. Com questões claras e bem feitas, mas de fato, o nível de acertos e a nota de corte deverão ser elevados".

O coordenador do Curso Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, criticou a seleção de assuntos e o formato da prova. "Da safra dos vestibulares de 2018, os exames da Unesp se destacam pela pouca criatividade e cobrança de temas batidos", diz.

Já o coordenador do curso Etapa, Marcelo Dias, concorda que a prova apostou em temas "tradicionais". Mas, ele diz não ter visto um exame de nível de dificuldade baixo. "Não foi uma prova simples e rápida. Com esse vestibular, o poder de seleção da prova é muito bom", diz o professor.

Filosofia cobrou conteúdo

Das 24 questões trazidas na prova de hoje, quatro tratavam de filosofia e sociologia. "Já se foi o tempo em que esses assuntos traziam questões meramente interpretativas", diz o professor das disciplinas no Curso Objetivo José Mazzoco.

Ele destaca que era preciso conhecer pensadores como Kant e Maquiavel – assuntos clássicos no currículo, mas abordados de uma maneira que, para o professor, "valoriza quem estudou a matéria".

Tweets irreverentes

Se na prova a Unesp apostou em temas clássicos, nas redes sociais, a universidade adotou uma postura mais ousada. Horas antes da prova, o perfil da instituição no Twitter publicou um meme com Rihanna dando uma piscadinha para as câmeras e a legenda: "você hoje olhando as questões da segunda fase e arrasando".

Coincidência ou não, no ano em que a Unesp adotou uma postura mais irreverente e jovem no Twiter, o vestibular da instituição teve recorde de inscritos e de comparecimento às provas - 90,6% dos convocados à segunda fase fizeram a prova de hoje, o que corresponde a um índice de abstenção de 9,4%.

No ano passado, esse índice havia sido de 11%, no primeiro dia da segunda fase.

"Os perfis de universidades e escolas costumam ser mais sérios no meio digital, mas entendemos que é possível atualizar a linguagem e ainda assim mantermos a informação e a excelência acadêmica sem esquecer do público que atendemos", disse ao UOL Circe  Dietz, responsável pela estratégia de mídias digitais para a Unesp.

O processo seletivo da Unesp para 2018 teve 107.818 inscritos para as 7.365 vagas de graduação em São Paulo. O curso de Medicina, com 28.147 concorrentes para 90 vagas, teve recorde de inscrição na história da instituição.

O resultado final será divulgado em 2 de fevereiro de 2018.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos