Fuvest

Cursinhos questionam resposta oficial para questão de biologia da Fuvest

Bruno Aragaki

Colaboração para o UOL, no Rio

  • Aline Arruda/UOL

Professores dos cursos Objetivo e Anglo, de São Paulo, questionam o gabarito oficial para uma questão de biologia apresentada neste domingo (26), na primeira fase da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular).

A prova, que seleciona alunos para as 8.402 vagas de graduação da USP (Universidade de São Paulo), considerou como correta uma alternativa que diz que "pelo processo da transpiração, as plantas bombeiam continuamente água do solo para a atmosfera".

"Primeiramente, não se pode dizer que é um movimento contínuo. Em situações de seca, por exemplo, a transpiração cessa", diz o professor Constantino Carnelos, do curso Objetivo, que também critica o uso do verbo "bombear". "Não é isso o que ocorre. A água é, simplificando, puxada para cima por diferença de pressão. Mas bombeamento está errado", diz.

O diretor de ensino do curso Anglo, Paulo Moraes, reverbera a crítica. "O termo é impreciso e o bom aluno, que conhece o fenômeno, pode se sentir prejudicado", analisa.

A questão alvo da polêmica é a de número 42 na versão V - 19 na versão K; 63 na Q; 31 na X e 86 na Z. De acordo com o gabarito oficial, a resposta correta é a E, que considera que essa afirmação, bem como outras duas apresentadas, estão corretas.

Para os professores, o gabarito deveria considerar como resposta correta a B – que diz que apenas as afirmações I e II procedem.

Curso Etapa concorda com a Fuvest

Caio Gadel, do curso Etapa, não vê problemas na resposta apontada pela Fuvest: "A expressão 'bombeamento' não é a mais ideal, mas existe, sim, um processo de pressão positiva na raiz que força a entrada de água dos vasos da planta", diz.

Por telefone, a assessoria de comunicação da Fuvest informou que avaliará a questão e se posicionará oficialmente em breve.
 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos