Unesp

Professores veem Unesp mais fácil que o Enem; alunos reclamam do gabarito

Bruno Aragaki

Colaboração para o UOL, do Rio

  • IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO

    15.nov.2017 - Candidatos conversam nos corredores do campus da Unesp em Franca no dia do vestibular da universidade

    15.nov.2017 - Candidatos conversam nos corredores do campus da Unesp em Franca no dia do vestibular da universidade

Mais fácil do que o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Essa foi a percepção geral de professores e alunos ouvidos pelo UOL sobre a primeira fase do vestibular da Unesp (Universidade Estadual Paulista), aplicada nesta quarta-feira (15) em 34 cidades.

"Não foi um pouco mais fácil, foi 'muito' mais fácil", disse a professora Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora do curso Objetivo, comparando o exame de hoje, com os testes aplicados nos últimos dois domingos. "A prova da Unesp aborda os principais conceitos que o aluno tem que saber de cada disciplina, sem pegadinhas ou notas de rodapé dos livros", explicou a professora.

"Essa foi uma prova de médio para fácil, enquanto o Enem foi uma prova difícil", resumiu o professor Alexandre Takata, do curso Maximize.

Célio Tasinaso, coordenador do curso Oficina do Estudante, de Campinas (SP), criticou a baixa complexidade das questões. "Acho que a Unesp perde a oportunidade de pautar o ensino, ao trazer questões simples, sem contextualização", opinou.

Para o coordenador do curso Anglo, Daniel Perry, o nível de exigência da prova - também classificado como fácil por ele - fará com que "os candidatos a cursos mais concorridos tenham pouco espaço para errar. Já que o exame estava, na média, fácil, a média de acertos deverá ser alta", disse.

Com 90 questões de múltipla escolha, o exame esteve dividido em três áreas: Linguagens e Códigos (português, literatura, inglês, educação física e arte), Ciências Humanas (história, geografia, filosofia e sociologia) e Ciências da Natureza e Matemática (biologia, física, matemática e química).

O mais difícil: preencher o gabarito

Há dois anos tentando uma vaga de medicina, a candidata Isabela Cintra teve opinião semelhante à dos professores e disse que "a prova da Unesp foi muito mais fácil do que a do Enem". "Não foi uma prova cansativa, nem cobraram coisas absurdas", opinou Cintra, para quem a pior parte do exame foi "preencher o gabarito". "Que gabarito horrível, por favor, deveriam trocar", disse.

No Twitter, grande parte dos participantes concordaram com Cintra, ao comemorar o grau de dificuldade das questões e criticar o modelo de gabarito - com espaço retangulares, em vez de círculos a serem preenchidos:

Segundo a assessoria de imprensa da Vunesp, não houve mudança no formato do gabarito, que também é o mesmo utilizado para outros concursos organizados pela fundação.

Recorde

Com mais de 107 mil inscritos, o vestibular da Unesp seleciona alunos para 173 cursos e 7.365 vagas em 23 cidades do Estado de São Paulo. Este ano, segundo a Vunesp, organizadora do concurso, a concorrência pelas vagas de medicina bateu recorde na história da instituição: 312,7 candidatos por vaga.

A taxa de abstenção deste ano, 6,4%, foi menor do que o do ano passado (7,7%). O índice é quase 5 vezes menor do que o verificado no Enem - de 30%.

Os candidatos mais bem classificados na prova deste domingo serão convocados, em 1º de dezembro, para a realização das provas de habilidades, para os cursos que assim o exigem, assim como para as provas de segunda fase – que abordarão disciplinas relacionadas ao curso pretendido, além de português e redação.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos