PUBLICIDADE
Topo

"Não temos paciência para estudar juntas", dizem gêmeas na Fuvest 2015

Reinaldo Canato/UOL
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Lucas Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

04/01/2015 12h45

Ter um irmão na fase do vestibular como você é ter um companheiro de revisão, certo? Nem sempre. Esse é o caso de Júlia e Marina Nader, irmãs gêmeas de 19 anos que vão prestar neste domingo (4) a segunda fase da Fuvest 2015 no prédio de engenharia civil da Escola Politécnica. “Não temos paciência para estudar juntas”, contam.

Marina afirma que as duas têm métodos diferentes para estudar, o que acabava atrapalhando -- e muito -- qualquer tentativa de colaboração nesse momento decisivo. “A Júlia foca em tudo e então eu ficava muito nervosa. Física, por exemplo, eu faço o mínimo do mínimo. Provavelmente se eu fosse estudar com ela, não saberia muita coisa que ela sabe”, acredita.

As duas decidiram fazer cursinho no mesmo lugar após o término do ensino médio. Marina optou por fazer relações públicas e Júlia, biologia. “No ano passado, prestei administração e não passei na segunda fase. Fiquei um pouco desanimada e resolvi mudar. No cursinho, acabei gostando muito das aulas de biologia e esse é o curso que meus pais fizeram. Eles me falaram como é e me interessei”, conta Julia.

Ao contrário da maioria dos estudantes ouvidos pelo UOL, as irmãs gêmeas não acreditam que a prova de hoje, que contará com 10 questões de português e uma redação, seja o dia mais fácil da segunda fase.

“Hoje é o diferencial: se você se der bem nessa disciplina, [você] tem muito mais chances de passar”, acredita Marina.

Para Júlia, a prova de hoje demanda muita interpretação de texto e a redação gera apreensão. “Nunca fui muito mal na redação, mas as notas que eu tiro nos vestibulares nunca são tão boas quanto as notas que tirava na escola”, conta. Ela não acredita que a Fuvest possa abordar a crise hídrica na proposta do texto dissertativo, como diversos candidatos ouvidos pela reportagem.

Mais dois dias de prova

As provas da segunda etapa serão realizadas também nos dias 5 e 6 de janeiro. Em todos os dias, os candidatos terão 4h para finalizar as provas.

Amanhã, os estudantes devem responder 16 questões de história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês. Na terça-feira, é a vez das disciplinas de acordo com a carreira escolhida.

Foram convocados para a segunda fase do vestibular 29.698 candidatos, que disputarão 11.057 vagas na USP e 120 vagas na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. A primeira chamada será publicada no dia 31 de janeiro.