PUBLICIDADE
Topo

Tabela periódica significou vitória para a Ciência

Página 3 Pedagogia & Comunicação

15/08/2011 09h00Atualizada em 15/03/2012 20h23

A tabela periódica, tema desta semana em Química, pode ser considerada uma vitória da Ciência na virada do século XIX para o XX e representou o fruto de um trabalho demorado desenvolvido pelos melhores estudiosos do assunto na época.  Para o nosso foco em particular, a relação entre posição na tabela e distribuição eletrônica é o que interessa, principalmente por que as propriedades periódicas derivam daí.

Para quem vai estudar, é onde entra a memorização seletiva, parcial e pelo uso, em oposição ao simples decorar sem sentido. Temos 112 elementos na tabela e não é preciso lembrar todas as posições. Mas saber onde está o cloro e o sódio, por exemplo, é necessário em razão da alta frequência com que estes elementos aparecem nos problemas de Química do vestibular.

Os assuntos mais clássicos da Ciência resolveram se unir em nosso roteiro nesta semana. Em Geografia, os climas e biomas terrestres estão entre eles e com frequência estão presentes nas provas, notadamente nos problemas sobre geografia física nos principais vestibulares.

Os exames abordam tanto a parte conceitual clássica como a prática. Um exemplo de aplicação prática pode ser uma questão sobre as mudanças de temperatura e os fatores geográficos em que se tenha de identificar as diferenças entre São Paulo, Santos e Campos do Jordão.

Enquanto a composição atmosférica quase não aparece nas provas, temperatura e circulação atmosférica e as relações de clima com vegetação e as características climáticas dos biomas brasileiros são pontos de atenção.

É importante que tenhamos em mente que os tipos climáticos e os seus respectivos biomas estão intimamente interligados, sendo fundamental que se analise esses dois elementos de forma conjunta. Na definição dos tipos climáticos e biomas associados há uma série de fatores geográficos que atuam de forma conjunta e não é possível entender o comportamento do clima de um lugar a partir da análise de apenas um desses elementos.  Só para esclarecer, eles são: latitude, altitude,  maritimidade e continentalidade, massas de ar e correntes marinhas.

Outra disciplina que segue a tradição na Ciência nesta semana é Biologia. Estudaremos três pontos da genética clássica: conceito de gene e alelo, as leis da segregação e da segregação independente e relação entre genes e cromossomos. Na próxima semana continuaremos com outros tópicos deste capítulo.

A genética clássica é muito requisitada nos vestibulares, com os modelos de Mendel e Morgan, e não podemos esquecer que posteriormente se descobriu que o gene é molécula de DNA, que configura a moderna genética [tema da semana passada].

Na genética clássica, a relação entre genes e cromossomos explica casos de herança ligada ao sexo, como daltonismo, hemofilia. Também casos novos de linkage e transmissão de grupos sanguíneos. Nesta área as perguntas costumam aparecer mais na forma de problemas e não em termos conceituais. As provas pedem, por exemplo, que se identifique o tipo de herança envolvida, ao apresentar o filho de um casal: se é um caso de primeira lei, com ou sem dominância, se é herança ligada ao sexo. Questões sobre a probabilidade das características de um filho também aparecem, e costumam envolver um pouco de matemática e genética molecular.

 

Impulsos e choques

O choque amortecido por um airbag ou o movimento da mão do jogador de vôlei ao dar uma cortada na bola são exemplos da vida prática aos quais se aplicam o estudo da variação e da conservação da quantidade de movimento (escalar e vetorial), temas desta semana em Física. Ainda dentro do capítulo sobre força e movimentos [iniciado na semana passada], são tópicos mais sofisticados, em que se aplica o tratamento vetorial.

Os problemas requerem um salto de abstração, porque é preciso calcular não só a grandeza, mas também a direção e o sentido.  São importantes nestes conteúdos os conceitos de quantidade de movimento e impulso, o teorema do impulso,  a lei de conservação da quantidade de movimento e tipos de choques. Para resolver problemas neste tema, é importante considerar as seguintes dicas:

1. Escolher um referencial conveniente para a solução do problema.

2. Nas questões envolvendo colisões, identificar qual o tipo de choque.

3. Lembrar que o Impulso é o efeito temporal da  força  assim como Trabalho é o efeito espacial da força.

4. Algumas questões de vestibular podem envolver o uso das duas leis de conservação da Física: conservação da energia mecânica e da quantidade de movimento. Apesar de nem sempre a energia mecânica se conservar, o mesmo não ocorre com a quantidade de movimento que se mantém constante em qualquer evento.

 

Língua e expressão

O estudo dos termos da oração, tema da semana em Português, constitui um passo para o melhor aproveitamento da língua, tanto no aspecto oral, quanto no escrito. Todos nós sabemos que o domínio da norma culta é de fundamental importância para a ascensão social, intelectual e profissional. Mesmo em tempos em que a gramática já não é tão valorizada, escrever continua sendo tarefa fundamental para a completa expressão do pensamento e o estudo deste conteúdo será certamente importante tanto para a prova de Português como na redação.

A sintaxe consiste no conjunto de regras que determinam as várias possibilidades de associação de palavras para formação de enunciados. Neste segmento, Oração, sujeito e predicado são os conceitos para se ter em mente no conteúdo da semana. E um ponto importante a considerar é que oração é um enunciado linguístico com uma estrutura sintática determinada pela presença obrigatória de um predicado. Por sua vez, o predicado é introduzido na língua por um verbo. E não podemos esquecer também que sujeito e predicado são responsáveis pela estrutura básica da oração.

Já que estamos falando do domínio da língua e capacidade de expressão do pensamento, o roteiro de Literatura da semana traz autores especialistas nesses quesitos, como os representantes do Romantismo em Portugal Almeida Garret, Alexandre Herculano e Camilo Castelo Branco.

Como as obras não estão listadas entre as de leitura obrigatória, o importante é estudar o conteúdo da maneira mais proveitosa para o vestibular. O Romantismo em Portugal deve ser estudado sempre com vistas à importância que desempenhou para o Brasil. Garrett, Herculano e Camilo Castelo Branco foram grandes influências para os escritores do Romantismo e também são referências para outros movimentos literários. Machado de Assis, por exemplo, ao iniciar seu Memórias Póstumas de Brás Cubas, pressupõe a leitura de Garrett, em Viagens na minha terra.

Para explicar um pouco melhor, vamos ver as características que podem ser exploradas pelos vestibulares em cada autor e obra:

Viagens na minha terra, de A. Garrett: os exames vestibulares chamam atenção para o estado híbrido da obra (diferentes gêneros textuais) e por ser considerada a porta de entrada do romance moderno. Se autores realistas e modernistas ousaram imprimir em suas obras um tom mais oral e descontraído, devem essa conquista a Garrett e, em especial, a essa obra.

Eurico, o presbítero, de A. Herculano: as provas se atém a diferentes aspectos da obra:

– a intransigência paterna que proíbe o amor dos dois jovens;

– a lealdade de Eurico para com seus princípios: tanto de cavaleiro, como depois, de padre;

– a luta pela defesa da pátria e a ira dirigida a seus desertores;

– o amor incondicional que leva à morte.

Amor de Perdição: versão portuguesa de Romeu e Julieta, a obra exacerbadamente romântica acaba por se tornar um paradigma do romance romântico português.

 

Complexo, mas não profundo

Em História do Brasil chegamos a temas complexos nesta semana: Pombal, o renascimento agrícola e a religião e cultura relacionadas aos jesuítas. Os temas não costumam cair nas provas e quando aparecem, as perguntas são bastante superficiais.

Para o Brasil, a importância das reformas de Pombal fica na centralização do poder e no arrocho do monopólio. São condições que lançam as bases para o processo de independência, mas não chegam a ser apontadas como causas. Quanto aos jesuítas, a principal contribuição é a expansão territorial. Podem ser feitas perguntas sobre as missões no sul e na Amazônia ou sobre a atividade educacional.

 

Voltando no tempo

O ar de encanto que a Idade Média exerce sobre muitos amantes de História geral contribui para o aprendizado deste tema. E também a relação com o presente. Nesta semana, veremos como se lançam as bases para o sistema capitalista. De fato, a partir do século XII, o renascimento comercial impulsiona as cruzadas, com a consequente circulação de moedas e o crescimento das cidades.

Tais fatos levam à desarticulação do sistema de troca de mercadorias, a Europa começa a se urbanizar. É o primeiro êxodo rural, os servos passam a comprar sua liberdade ou fugir para a cidade. Forma-se também a nova classe social, a burguesia, ainda muito pobre e sem poder.

O importante é entender o período como transição do feudalismo para o capitalismo, pois é a partir deste contexto que o poder se centraliza e levará à formação das monarquias nacionais, com moeda única, sistema de impostos e exército forte. Ainda sobre este período, os vestibulares podem fazer perguntas a respeito das reformas religiosas e a inquisição. Surgem novas opções religiosas além do resgate dos valores de humanismo e antropocentrismo com o Renascimento.

 

Desde criancinha

Em Matemática, veremos temas recorrentes desde as séries iniciais do ensino fundamental, conjuntos numéricos e sistema de numeração. Problemas de divisão euclidiana, achar o MDC ou MMC são assuntos comuns nas provas e não são difíceis.

Como consequência da crescente informatização da vida contemporânea, os sistemas de numeração ganham importância no vestibular. Principalmente o sistema de base dois. Como passar de uma base para outra, por exemplo, é solicitação frequente nas provas.