PUBLICIDADE
Topo

"Zero reais"

Atualizada em 04/02/2015, às 15h24

Por Dílson Catarino*:

"Zero reais"

Na propaganda televisiva de um cartão de crédito, cujo ápice é a frase "não tem preço", o locutor diz várias vezes "zero reais". É assim mesmo que se estabelece a concordância? "Reais"?

A resposta é não, já que o numeral "zero" não representa pluralidade de elementos, e sim a total ausência de quantidade e corresponde a um conjunto vazio. Se não há pluralidade, toda concordância com esse termo da oração deve ser realizada no singular. Veja alguns exemplos:

  • Fez zero grau essa madrugada.
  • À zero hora de 19/2, terminará o horário de verão. (O dicionário Aurélio registra "zero-hora", com hífen; os dicionários Houaiss e Michaelis e o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, não.)

É importante que o estudante saiba que essa concordância se mantém quando houver numerais decimais, ou seja, em numerais em que haja a vírgula, a concordância se efetiva com o número que esteja antes da vírgula. Veja alguns exemplos:

  • 0,5 mol, e não 0,5 moles.
  • 0,8 quilômetro.
  • 1,5 quilo.

O locutor da propaganda não poderia, então, dizer "zero reais", e sim:

"Zero real"

*Professor de gramática da língua portuguesa, literatura e redação, desde 1980.