PUBLICIDADE
Topo

"Perdi a paciência com você! Cala a boca e vai embora!"

Atualizada em 03/02/2015, às 12h32

Por Dílson Catarino*:

Perdi a paciência com você! Cala a boca e vai embora daqui!

Uau! Até parece a novela das nove. Como as pessoas se exaltam em novelas, não é mesmo? Você já prestou atenção aos diálogos das personagens? Ninguém, mas ninguém mesmo, se comunica daquela maneira. Mas a coluna de hoje nada tem a ver com programas televisivos. Desta vez também não vou trabalhar com textos jornalísticos. Vou apresentar um problema extremamente comum ao cidadão também comum.

Façamos o seguinte: pense em algumas ordens que você daria, ou alguns conselhos, ou ainda alguns pedidos, usando somente o verbo. Por exemplo: use os verbos "dormir", "sair", "vir" e "andar". Como você diria? Dorme ou durma? Saia ou sai? Vem ou venha? Anda ou ande?

Quando houver a ocorrência de ordem, pedido ou conselho, feitos por intermédio de um verbo, dizemos que este está no modo imperativo.

A conjugação do imperativo afirmativo obedece às seguintes regras:

Os pronomes tu e vós provêm do presente do indicativo, retirando-se a letra s do verbo (Há apenas uma exceção: o verbo ser, que terá sê tu, sede vós); os pronomes você, nós e vocês provêm do presente do subjuntivo. Não existe o pronome eu no modo imperativo.

Peguemos como exemplo o verbo estudar: No presente do indicativo, haverá: tu estudas, vós estudais; retirando-se a letra s: estuda tu, estudai vós. No presente do subjuntivo: que você estude, que nós estudemos, que vocês estudem: estude você, estudemos nós, estudem vocês. Portanto o imperativo afirmativo do verbo estudar é conjugado assim:

  • estuda tu,
  • estude você,
  • estudemos nós,
  • estudai vós,
  • estudem vocês.

Os verbos sugeridos, então, devem ficar assim:

Quem trata o interlocutor de tu deve dizer: dorme; sai; vem; anda.

Quem trata o interlocutor de você deve dizer: durma; saia; venha; ande.

O imperativo negativo provém totalmente do presente do subjuntivo:

  • não estudes tu,
  • não estude você,
  • não estudemos nós,
  • não estudeis vós,
  • não estudem vocês.

Se os verbos sugeridos estivessem na forma negativa, haveria: não durmas tu, não durma você; não saias tu, não saia você; não venhas tu, não venha você; não andes tu, não ande você.

A frase apresentada, então, deve ser assim estruturada:

Perdi a paciência com você! Cale a boca e vá embora daqui!

ou

Perdi a paciência contigo! Cala a boca e vai embora daqui!

*Professor de gramática da língua portuguesa, literatura e redação, desde 1980.