PUBLICIDADE
Topo

"O gerente só intermedia quando é necessário"

Atualizada em 04/02/2015, às 12h27

Por Dílson Catarino*:

O gerente só intermedia quando é necessário

Esse gerente sabe trabalhar coerentemente, mas a pessoa que elaborou essa frase não conhece a língua padrão, pois o verbo "intermediar" não tem conjugação regular, como ocorre com a maioria dos verbos terminados em -iar. Vejamos a teoria:

Os verbos terminados em -iar têm conjugação regular, ou seja, seguem a conjugação de qualquer verbo terminado em -ar, como, por exemplo, "cantar". Então, se dizemos "eu canto, tu cantas, ele canta", também diremos "eu copio, tu copias, ele copia".

Há alguns verbos terminados em -iar, porém, que não seguem essa conjugação. É o caso de "mediar", "ansiar", "remediar", incendiar", "odiar" e todos os seus derivados. Esses verbos terão o acréscimo da letra "e" antes da terminação -iar, nas pessoas "eu, tu, ele e eles" do presente do indicativo (todos os dias ...) e do presente do subjuntivo (espero que ...). A conjugação desses dois tempos ficará desta forma:

  • Todos os dias eu medeio,
  • tu medeias,
  • ele medeia,
  • nós mediamos,
  • vós mediais,
  • eles medeiam.
     
  • Que eu medeie,
  • tu medeies,
  • ele medeie,
  • nós mediemos,
  • vós medieis,
  • eles medeiem.

Todos os outros tempos seguem a conjugação regular, ou seja, terão conjugação igual à de qualquer verbo terminado em -ar.

O verbo "intermediar" é derivado de "mediar", portanto sua conjugação é idêntica à deste. A frase apresentada, então, deve ser assim reescrita:

O gerente só intermedeia quando é necessário

*Professor de gramática da língua portuguesa, literatura e redação, desde 1980.