PUBLICIDADE
Topo

"Eu estava presente na palestra, mas..."

Atualizada em 16 de junho de 2009

Eu estava presente na palestra, mas não prestei atenção na apresentação de slides.

O uso da preposição é bastante complexo na língua portuguesa. Alguns verbos a exigem, mas a população em geral não a usa. Um exemplo disso é o verbo "assistir", que, ao significar "ver", exige a preposição "a", mas nem alguns jornalistas modernos a utilizam, construindo, assim, uma estrutura sintática inadequada.

Da mesma forma, a população utiliza uma preposição no lugar de outra, construindo estruturas sintáticas inadequadas. É o que acontece com as palavras "presente" e "atenção", largamente utilizadas com a preposição "em", de maneira indevida, pois elas exigem a preposição "a".

A frase apresentada, então, deveria ser assim estruturada:

Eu estava presente à palestra, mas não prestei atenção à apresentação de slides."

Quem manda na língua, porém, é o povo. Por mais que nós, gramáticos e professores de português, queiramos normatizar o idioma, a população o usa livremente e o modifica sistematicamente. Chega um momento que temos de "dar a mão à palmatória" e ceder, aceitando a mudança. É o que faço agora com as palavras apresentadas:

A gramática exige a preposição "a" diante de "presente" e de "atenção". Os brasileiros riem disso e usam a preposição "em". Não há mais como exigirmos a correção. Passemos a aceitar a preposição "em" também. Está errada gramaticalmente, mas aceita universalmente.