"Estou sem dinheiro para pagar o advogado. E agora?"

Regência

Atualizado em 28/01/2015, às 17h04

Por Dílson Catarino*:

E agora? O mais estranho é você estar comprando o advogado...

Não entendeu nada, não é mesmo? O que ocorre é que o verbo pagar, juntamente com perdoar e agradecer, é verbo denominado de transitivo direto e indireto, ou seja, possui dois complementos: o objeto direto, que é usado sem preposição, e o objeto indireto, com a preposição a. A particularidade deles é que sempre o objeto direto será representado pela coisa, e, sempre também, o objeto indireto, pela pessoa, seja física ou jurídica. Por exemplo:

  • Paguei ao colégio ontem.
  • Perdoei os erros cometidos.
  • Agradeci o convite a ele.

Outro estudo interessante pertinente a esses três verbos é referente aos pronomes utilizados com eles: quando substituir o objeto direto, ou seja, a coisa perdoada, paga ou agradecida, os pronomes utilizados devem ser o, a, os, as; quando substituir o objeto indireto, ou seja, a pessoa a quem se perdoa, a quem se paga ou a quem se agradece algo, os pronomes utilizados devem ser lhe, lhes. Por exemplo:

  • Não perdoarei ao meu amigo = Não lhe perdoarei.
  • Não perdoarei seus erros = Não os perdoarei.
  • Paguei a camisa com cheque = Paguei-a com cheque.
  • Paguei ao dentista com cheque = Paguei-lhe com cheque.
  • Agradeço o convite = Agradeço-o
  • Agradeço ao meu amigo = Agradeço-lhe.

A frase apresentada deverá ser corrigida desta maneira:

Estou sem dinheiro para pagar ao advogado. E agora?

*Professor de gramática da língua portuguesa, literatura e redação, desde 1980.

UOL Cursos Online

Todos os cursos