PUBLICIDADE
Topo

"Ester, eu lhe amo"

Atualizada em 03/02/2015, às 18h07

Por Dílson Catarino*:

Ester, eu lhe amo.

Isso é um erro. Não o fato de amar Ester, mas o uso do pronome lhe, que só complementa verbo transitivo indireto (VTI), ou seja, verbo que exige a preposição a.

Amar é verbo transitivo direto (VTD), ou seja, que não admite preposição alguma (Quem ama, ama alguém). Os pronomes de terceira pessoa que o complementam são o, a, os, as. Então, a frase apresentada deve ser corrigida desta maneira:

Ester, eu a amo.

Além do verbo amar, outros verbos podem suscitar dúvidas. Por exemplo, o verbo obedecer pede a, pois quem obedece, obedece a algo ou a alguém. Então deveremos dizer:

  • Às leis de trânsito, obedeço-lhes sempre. 
  • Aos meus superiores, obedeço-lhes sempre. 

Já os verbos pagar, perdoar e agradecer pedem a preposição a somente quando o complemento for uma pessoa, pois quem paga, paga algo a alguém, quem perdoa, perdoa algo a alguém e quem agradece, agradece algo a alguém. Portanto, ao se referir a pessoas, deve-se usar o pronome lhe. Exemplo:

  • Aos meus filhos, pago-lhes tudo sem reclamar.
  • Aos meus amigos, perdoo-lhes os deslizes.
  • A Virgílio, agradeci-lhe o convite ontem. 

Porém, se a referência não for a pessoas, deve-se usar o, a, os, as.

  • As dívidas, paguei-as ontem ao banco. 
  • Os deslizes, perdoei-os aos amigos. 
  • O convite, já o agradeci a Virgílio. 

Se você não tem certeza de que um verbo requer ou não a preposição a, consulte um dicionário, de preferência um dicionário de regência verbal. Lá você poderá saber se o verbo é VTI ou VTD.

-------------------------------------------------------------

É certo dizer "eu te amo"?

Uma frase bastante popular entre os enamorados é eu te amo.

Os brasileiros que se utilizam corretamente da segunda pessoa (tu) podem e devem continuar dizendo Ester, eu te amo, mas deve-se lembrar que somente é adequado o emprego do pronome te, referente à segunda pessoa do singular, tu. Se o pronome usado para o interlocutor for você, não se deve usar te, e sim o, a, os, as, lhe, lhes, como vimos acima. Por exemplo:

  • Tu me deixaste completamente apaixonado. Posso dizer-te sem medo: Ester, eu te amo. 
  • Você me deixou completamente apaixonado. Posso dizer-lhe sem medo: Ester, eu a amo. 

Portanto, nas regiões do Brasil onde não é comum o uso da pessoa tu, convém evitar o emprego dos pronomes te, ti, tua, teu, contigo.

O tratamento habitualmente empregado na maior parte do Brasil é você, por conseguinte todos os elementos relativos a esse pronome devem estar na terceira pessoa (o, lhe, seu, sua, a você, com você... ).

Conclusão: onde não se usa tu costumeiramente, não se deve dizer: Ester, eu te amo, mas sim Ester, eu amo você ou Ester, eu a amo, como vimos acima.

*Professor de gramática da língua portuguesa, literatura e redação, desde 1980.