UOL Vestibular fotos

01/06/2012

Samurai brasileiro aplica regras do Bushido ao vestibular; confira

Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Samurai brasileiro aplica regras do Bushido ao vestibular; confira
  • link: http://vestibular.uol.com.br/album/samurai-vestibular_album.jhtm
  • totalImagens: 11
  • fotoInicial: 11
  • imagePath: http://ve.i.uol.com.br/album/
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120601162550
Fotos
"O vestibular é uma das primeiras grandes batalhas do samurai moderno", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Se quiser passar no vestibular, pare de namorar. Não conheci até hoje nenhum soldado que tenha levado sua namorada para o front", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Saber viver é não desperdiçar nenhum momento sequer da sua vida, desgastar-se à toa, perder tempo à toa, e ser feliz o máximo possível", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Não aconselho estudar até altas horas da noite. O guerreiro tem que acordar cedo e dormir cedo", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Estudar na calada da noite vai causar desequilíbrio no organismo com o passar do tempo. Nosso organismo não foi feito para isso", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Tem gente que escolhe fazer odontologia porque sabe que não vai passar em medicina. Errado?, diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"O vestibulando está no meio de uma guerra e, durante uma guerra, não há tempo para lazer e tentações mundanas", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Numa guerra, falhas ou imperfeições são inconcebíveis. É por isso que o samurai deve encarar cada momento de sua vida como se fosse o último", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Viver intensamente não é como os adolescentes estão pensando, encher a cara. É sentir o mundo 100%, na sua amplitude. Se você bebe, não sente o mundo", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Antes do vestibular, o samurai tem que saber se quer entrar na guerra. Não é porque todo mundo vai prestar [vestibular] depois do ensino médio que ele tem que fazer também", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais
"Um ano é um tempo bom para viajar, trocar ideias, e só então entrar para a guerra, com consciência. Porque, a partir daí, o destino está traçado e não terá nada de moleza", diz professor de artes marciais e médico, Jorge Kishikawa, 48. Ele acredita que o código de conduta dos samurais (Bushido) pode ajudar na batalha do vestibular Montagem Arte UOL com fotos de Leonardo Soares/UOL Mais

Últimos álbuns publicados

Hospedagem: UOL Host