"Deborah Secco vai a festa sem Falcão"

Crase

A frase do título constava da primeira página do UOL de 24/09/2006. Recebi alguns e-mails de interessados pela Língua Portuguesa, perguntando-me se não deveria haver o acento indicador de crase (vai à festa), já que o verbo ir exige a preposição a (quem vai, vai a algum lugar) e festa é um substantivo feminino (Gostei da festa).

Crase é um fenômeno que consiste em usar o acento grave sobre o a (resultando em à) para indicar que ali há, ao mesmo tempo, a preposição a e o artigo a (ou as) ou o pronome demonstrativo a (ou as). Por exemplo:

Obedeço às regras.

Nessa frase há o acento indicador de crase, porque o verbo obedecer exige a preposição a (quem obedece, obedece a algo), e o substantivo regras é feminino plural, exigindo, assim, a anteposição do artigo as. Somando-se os dois termos (a + as), ocorre a crase (às).

Algumas frases, porém, que trazem um substantivo feminino usado de forma genérica, levam o estudante incauto a usar o acento grave indevidamente, por acreditar que o substantivo exige artigo sempre. O substantivo é usado de forma genérica quando não especifica elemento algum, quando trata aquele elemento de forma imprecisa, vaga. Eis um exemplo:

O cantor não dedicou a música a homem algum nem a mulher alguma.

Nessa frase, os substantivos homem e mulher não se referem a um homem específico nem a uma mulher específica. Tratam de maneira genérica. Acredito que tenha sido fácil perceber isso em virtude do pronome indefinido algum(a) posposto aos dois substantivos. Ninguém diria Eu não gosto da mulher alguma, com artigo (de + a = da), e sim Eu não gosto de mulher alguma, sem artigo, somente a preposição de. Da mesma forma o artigo não seria usado se não houvesse o pronome indefinido:

O cantor não dedicou a música a homem nem a mulher.

Os substantivos homem e mulher continuam usados de forma genérica. Por isso, sem o acento grave.

É exatamente isso que acontece na frase apresentada: O autor da frase não se referiu a uma festa específica, mas a uma festa qualquer, de forma genérica. Caso o leitor soubesse de que festa se tratava ou se o substantivo estivesse especificado (festa do partido; festa da Independência; festa em homenagem a Pirituba, etc., etc., etc.), o acento seria obrigatório. Por exemplo:


A Rede Esfera de Comunicação realizará uma festa em homenagem a todos os artistas. Dizem que Deborah Secco vai à festa sem Falcão.


Deborah Secco vai à festa da NDV sem Falcão.

O autor da frase do início deste artigo, porém - repito - não especificou a que festa ela irá ou foi. Não há, portanto, o artigo. Deve-se, escrever a frase, então, sem o acento indicador de crase, exatamente como está no UOL:

Deborah Secco vai a festa sem Falcão



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos